fbpx
ADS

Entre os meses de abril e maio do ano passado a palavra “insônia” era a mais procurada do Google. A pesquisa por “remédio para insônia” aumentou em 130%.

O uso de hipnóticos já vinha em crescimento há três anos, mas a pandemia impulsionou o consumo. Levantamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), feito a pedido do Metrópoles, revela como a Covid-19 impactou nos resultados.

Os dados do ano todo ainda não estão consolidados, mas indicam o panorama apontado pelo Conselho Federal de Farmácia. Somente no primeiro semestre de 2020, a comercialização de clonazepam, conhecido como Rivotril e um dos mais populares remédios para dormir, representou 64% de todo o volume vendido em 2019.

Em entrevista ao Portal Metrópoles, o médico do Sono Dr. George Pinheiro, membro da Associação Brasileira do Sono alerta que o legado da pandemia no uso desses medicamentos ainda não pode ser mensurado, mas é motivo de preocupação.

Clique aqui e confira a reportagem.

ADS

Enviar meu comentário